Instituto TIM amplia atuação na Região Sul do país

Iniciativa da operadora desenvolve 10 projetos em todo Brasil, orientada por quatro princípios: Ensino, Aplicações, Inclusão e Trabalho

 

O Instituto TIM – que tem a missão de criar e potencializar recursos e estratégias para a democratização da ciência, tecnologia e inovação que promovam o desenvolvimento humano no Brasil – amplia sua atuação na Região Sul em 2015. As iniciativas foram apresentadas pelo Presidente do Instituto TIM, Manoel Horário, durante o painel de abertura do Smart City Business America Congress & Expo, realizado em Curitiba. A TIM é uma das empresas patrocinadoras do evento. Um dos destaques é o Programa TIM Faz Ciência (TFC), uma iniciativa que convida estudantes de 4º e 5º anos do Ensino Fundamental de escolas públicas a explorar operações intelectuais próprias à produção de conhecimento científico. O programa oferece recursos didáticos e formação gratuita aos professores participantes.

Em 2015, TFC beneficiará 25.935 alunos, 741 educadores e 249 escolas de 51 municípios da Região Sul. Desenvolvido em parceria com as Secretarias Municipais de Educação para a formação de professores, o programa também recebe inscrições espontâneas de professores. No Paraná, a parceria é realizada em Curitiba (45 escolas, 115 professores e 4.020 alunos) e Londrina (43 escolas, 138 professores e 4.830 alunos). Em Santa Catarina, em Florianópolis (113 professores de 36 escolas, com aulas para 3.955 alunos) e em Gravatal (4 escolas, 11 professores e 385 alunos). No Rio Grande do Sul, em Canoas (em definição), Porto Alegre (41 escolas, 179 professores e 6.265 alunos), São Luiz Gonzaga (8 escolas, 11 professores e 385 alunos) e Sapucaia do Sul (24 escolas, 57 professores e 1.995 alunos). Uma das novidades de 2015 é que o programa foi adotado como um projeto da rede de ensino municipal em Florianópolis e Porto Alegre.

Somando inscrições espontâneas e parcerias com Secretarias Municipais, ao longo de 2015, TFC chegará a 13 cidades do Paraná (Curitiba, Londrina, Carambeí, Castro, União da Vitória, Paranavaí, Pontal do Paraná, Mandaguari, Marechal Cândido Rondon, Medianeira, Reserva do Iguaçu, Rio Negro, São José dos Pinhais), 14 cidades de Santa Catarina (Florianópolis, Barra Velha, Bela Vista do Toldo, Gravatal, Ibirama, Pomedore, Imbituba, Indaial, Joinville, Massaranduba, Novo Trento, São Bento do Sul, São José e Witmarsum) e em 24 cidades do Rio Grande do Sul (Porto Alegre, Braga, Canoas, Catuípe, Cerro Largo, Erechim, Esteio, Garruchos, Gravataí, Guarani das Missões, Igrejinha, Jaguarão, Morrinhos do Sul, Novo Hamburgo, Parobé, Passo Fundo, Pelotas, Porto Xavier, Santa Clara do Sul, Santo Ângelo, São Leopoldo, São Luiz Gonzaga, Sapucaia do Sul e Viamão).

OUTROS PROJETOS DO INSTITUTO TIM NA REGIÃO SUL:

 Mapas Culturais

Mapas Culturais é uma ferramenta colaborativa desenvolvida pelo Instituto TIM em código aberto que reúne informações sobre agentes, espaços, eventos e projetos culturais, fornecendo ao poder público uma radiografia da área de cultura e ao cidadão um mapa de espaços e eventos culturais da cidade. O usuário pode buscar por eventos culturais e, caso queira, ao cadastrar seu perfil de agente (artistas, gestores e produtores), incluir sua própria programação cultural, colaborando para a gestão da cultura da cidade. A plataforma está alinhada ao Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (SNIIC), o que permite a integração de dados dos dois sistemas. Além disso, contribui para que os gestores públicos realizem alguns dos objetivos do Plano Nacional de Cultura e da Lei de Acesso à Informação. Ela pode ser adotada gratuitamente por qualquer cidade ou estado. O primeiro estado a implementar a plataforma Mapas Culturais foi o Rio Grande do Sul, onde a ferramenta se chama Mapa da Cultura e já está em operação (http://mapa.cultura.rs.gov.br/). O município de Blumenau (SC) também faz parte do projeto, com a plataforma Blumenau Mais Cultura (http://blumenaumaiscultura.com.br/).

O Círculo da Matemática do Brasil

O Círculo da Matemática do Brasil trouxe ao país a abordagem “The Math Circle”, adaptando e aperfeiçoando seus conteúdos à realidade brasileira em colaboração com seus fundadores, os professores Bob Kaplan e Ellen Kaplan da Universidade de Harvard. A iniciativa contribui para o desenvolvimento do raciocínio matemático de alunos do 2º ao 4º ano do Ensino Fundamental de escolas públicas com aulas lúdicas e cooperativas para turmas pequenas, já que o baixo desempenho inicial limita o aprendizado do aluno nas séries posteriores. O ponto forte de O Círculo da Matemática do Brasil é a sua concepção pedagógica, segundo a qual a participação e reflexão dos alunos são essenciais para a construção do conhecimento matemático. Em 2014, foram realizadas mais de 14 mil aulas do projeto em 67 escolas públicas de São Paulo, Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Brasília, Porto Alegre, Salvador, Fortaleza, Aracaju, Belém e Porto Velho, beneficiando cerca de oito mil alunos. Neste ano, em Porto Alegre, a iniciativa alcança 649 alunos, 6 educadores e 10 escolas.

Apoio a Museus e Centros de Ciência e Tecnologia

Entre os museus e centros de ciência e tecnologia apoiados pelo Instituto TIM está o Museu de Ciências Naturais da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba. Os materiais adquiridos com o apoio ao Programa Ciência Vai à Escola beneficiaram 3.321 alunos e professores de 124 instituições de 73 municípios do Brasil. Além disso, o material foi usado para três exposições itinerantes, realização de oficinas e empréstimo para disciplinas da UFPR. Com o apoio do Instituto TIM também foram produzidos dois livretos: Fósseis do Paraná (já publicado) e Conchas de Moluscos Marinhos do Paraná (será publicado em junho).

0 111

Deixe uma resposta