Imprensa Catarinense adere ao movimento “Há Vida Sobre Rodas”

O governador Eduardo Pinho Moreira recebeu em seu gabinete, na manhã desta segunda-feira, dia 27, presidentes de entidades da imprensa catarinense que se comprometeram a difundir junto aos veículos associados questões elucidativas à segurança no trânsito, e também sobre a necessidade de reduzir os acidentes envolvendo motociclistas. Juntas, a Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert), a Associação de Diários do Interior (ADI) e a Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina (Adjori) congregam grande parte dos veículos de comunicação de Santa Catarina, e estiveram representadas pelos seus presidentes na assinatura do termo de cooperação, junto ao Governo do Estado.

Em linhas gerais, o que se pretende é encampar um movimento intitulado “Há Vida Sobre Rodas” em prol da segurança no trânsito, tendo como principal coadjuvante a mídia catarinense. O comprometimento com a causa levará para dentro das redações o estímulo à produção de materiais jornalísticos que evidenciam os atuais riscos enfrentados diante da imprudência no trânsito, com enfoque especial para os motociclistas, vítimas mais suscetíveis à gravidade dos acidentes dessa natureza. A Fábrica de Comunicação é uma das parceiras do movimento e vai contribuir com a produção de conteúdo qualificado para ser distribuído nas redações dos veículos, permitindo assim alimentar de forma confiável questões sobre segurança no trânsito.

Dados apurados pela Secretaria de Estado da Saúde mostram que nos três primeiros meses de 2018, os dois principais hospitais públicos da grande Florianópolis – Celso Ramos e o Regional de São José – já atenderam 1.312 vítimas de acidentes de moto. Santa Catarina apresenta uma frota formada por 22,9% de motocicletas. Esse volume representa quase a totalidade de acidentados de moto atendidos durante todo o ano de 2017 pelo Hospital Celso Ramos, que foi de 1.647 atendimentos. Já no Regional de São José, o volume de atendimentos ano passado foi ainda mais alarmante, totalizando 3.530 emergências envolvendo motociclistas, uma média de 294 por mês, ou quase 10 por dia.

Segundo o governador Eduardo Pinho Moreira, o espírito comunitário dos veículos de imprensa de Santa Catarina sempre fez toda a diferença na hora de enfrentar questões importantes de segurança e saúde pública, como é o caso. “Estamos falando de acidentes que resultam em ferimentos graves, que envolvem um longo período de reabilitação, muitas vezes com uso de próteses caríssimas. Com a união de forças dos órgãos de imprensa conseguiremos sensibilizar a sociedade para os cuidados importantes no trânsito”, analisou.

O governador ainda refletiu sobre os bons índices de educação e de qualidade de vida no Estado, que contrastam com os percentuais de acidentes e de mortes no trânsito. “Quando se trata do trânsito, estamos na liderança dos acidentes em números proporcionais e quase na liderança em números absolutos. Temos que mudar esse panorama”, conclama.

 Protagonismo das associações

Para o presidente da Acaert, Marcelo Petrelli, a união da imprensa em torno da segurança no trânsito fará toda a diferença na sensibilização da população. “Temos que mudar o panorama catarinense que figura entre os primeiros colocados quando o assunto é a violência no trânsito. Quando o governo estimula esse engajamento, com certeza está dando passos concretos rumo à transformação da sociedade”, reflete.

Posicionamento semelhante foi defendido pelo presidente da Adjori, Miguel Gobbi, ao alegar que a conscientização e a educação para um trânsito melhor serão cruciais nos resultados positivos que se pretende conquistar. “Como meios de comunicação, precisamos dar visibilidade para essa causa. E a imprensa regional tem um papel fundamental nesse processo, já que fala diretamente com as comunidades que se veem representadas”, pontua.

Segundo o presidente da ADI, Âmer Félix Ribeiro, o movimento de segurança no trânsito vai ao encontro do compromisso de interesse público mantido pela imprensa. “Temos o dever de informar de forma pedagógica questões de impacto social. Essa causa é fundamental para diminuirmos a sobrecarga dos leitos hospitalares e atendermos melhor os catarinense”, analisa.

O secretário de Comunicação do Governo de Santa Catarina, Gonzalo Pereira, principal articulador frente às entidades para assinatura do termo de cooperação, agradeceu pela sensibilidade dos envolvidos com a causa. “Esse apoio é fundamental para darmos visibilidade às questões de segurança no trânsito. Estamos tratando meramente com questões editoriais. Nós, como comunicadores públicos, nos colocamos no papel de difusores de dados oficiais, e contamos com o poder dos veículos para amplificarem tais informações. Tenho a convicção que estaremos juntos contribuindo para a preservação de vidas no trânsito”, conclui.

0 4
Fábrica de Comunicação

Deixe uma resposta