Young woman getting ready to shoot video for tiktok

Tiktok e as novas formas de fazer jornalismo

O mundo muda, e a forma como nos comunicamos e consumimos informação também se transforma. Com o avanço tecnológico e com a facilidade e rapidez com que as mensagens são compartilhadas, a forma de produzir e consumir notícias jornalísticas também é alterada. Isso tem impacto direto em como o jornalismo se comporta e quais ferramentas e estratégias precisa utilizar.

Inicialmente ocupando os espaços em folhetos e papéis dos mais diversos jornais, avançamos e fomos para o rádio, aquilo que antes era só lido agora era ouvido. Foi assim com a TV, a internet, e com todas as novas ferramentas de utilização constante que permitem que tenhamos cada vez mais opções na hora de produzir e consumir notícias.

O consumo de conteúdo em formato audiovisual por meio de smartphones, por exemplo, aumentou de forma significativa nos últimos anos, e é possível constatar que, pela forma como esses aparelhos estão inclusos no dia a dia, muitas vezes, as pessoas buscam se informar em ambientes em que o contexto predominante não é o jornalístico, como é o caso das redes sociais online que visam o entretenimento como produto principal.

Atualmente, um dos canais de maior difusão de informação em formato audiovisual que se tem notícias na internet é o aplicativo TikTok. Ele que foi criado em 2014 inicialmente com outro nome, foi desenvolvido para as pessoas postarem vídeos dublando músicas. Com o tempo expandiu suas funcionalidades, aumentando também as possibilidades de se criar e consumir conteúdo dentro do aplicativo, que já está inserido no cotidiano de pessoas do mundo inteiro, de todas as faixas etárias, gêneros, interesses e estilos. Tem espaço para todo mundo! Desde conteúdos virais como danças coreografadas até informação de credibilidade jornalística, que contribui para a plataformização da área.

Adequação da abordagem jornalística

Para o jornalismo se adequar a esses espaços midiáticos, surge então a necessidade de inovação em sua forma de comunicar, visto que cada rede social tem sua linguagem característica – que se estabelece como muito mais do que forma, apontando para modos de sociabilidade singulares. Para conversar, de fato, com o público presente nessas plataformas, os veículos noticiosos precisam não apenas estar presentes nesses espaços, como também participar efetivamente da conversação social

Existem alguns desafios presentes em meio a essa adequação no formato de comunicar estabelecido na rede, como por exemplo a adaptação a uma linguagem mais leve, dinâmica e jovem; e, ao mesmo tempo, que priorize a manutenção da função informativa do jornal. Estamos acompanhando em tempo real os esforços da categoria para noticiar nos padrões de uma rede social que contém poucos padrões.

Alguns perfis jornalísticos hoje já estão no TikTok, desde veículos de mídia de massa, como Jornal da Record, Band ou Estadão, até mesmo agências de checagem de informação, como é o caso da Agência Lupa. Ainda assim, esse é um espaço que pode e é recomendado que se explore de forma mais intensa.

É bem provável que com o passar dos anos novas ferramentas e ambientes online surjam, e o jornalismo deverá continuar se integrando em tais lugares, para disseminação de informações de confiabilidade, veracidade e integridade, combatendo fake news, e atingindo um público cada vez maior, por exemplo.

E a comunicação corporativa?

É possível expandir a comunicação corporativa para meios interativos como o TikTok?

Essa é uma pergunta com resposta simples: Sim. O importante a ser observado na verdade é o como. Existem muitas formas da informação chegar a essas redes sociais online, com ferramentas múltiplas ao dispor de um clique. O que necessita ser ressaltado é quais as melhores formas de estar presente e se manter relevante nesses espaços

É importante apresentar essa possibilidade para a empresa, que por vezes, pode acreditar que redes ‘da moda’ como o TikTok não seja seu lugar. É considerável lembrar que uma ferramenta tão presente na atualidade, capaz de influenciar no comportamento online de diversas pessoas pode, sem dúvidas, ser uma aliada na comunicação de empresas e clientes que tenham a intenção de expandir e alcançar públicos ainda mais vastos.

O TikTok como ambiente cultural pode ainda funcionar como um sistema de alerta precoce para as mudanças culturais e comportamentais que sobreviverão ao ciclo da mídia.

Texto por: Gabriela Francis

0 4
Redação FC

Deixe uma resposta